Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Maldição

por Maki, em 28.05.15

Faço sempre a mesma porcaria... Hoje dei por mim a limpar o quarto (ok, já estava na hora), quando tenho um teste no sábado para o qual ainda não estudei n-a-d-a. Preciso só de 4, maaas se tivesse um 10 era bem melhor...

De qualquer forma estou bastante orgulhosa por ter sobrevivido ao primeiro ano de universidade (ainda não acabou... Mas oficialmente hoje foi o meu ultimo dia de aulas, e as aulas por vezes são bastante complicadas...). só quero acabar isto, passar a tudo e ter as minhas merecidas ferias...

Oh por falar em passar a tudo, ontem tive o teste mais divertido de sempre, há muito tempo que não recorria à improvisação, tinha saudades de inventar respostas e rezar para que estivesse certo... Ahahah espero não me rir tanto no de recuperação... Digamos que estava de tal forma divertida que estive prestes a escolher a escolha múltipla que obviamente estava errada para que o senhor também se ri-se um pouco, mas decidi que era melhor não, ele ainda ia achar que estava a falar a serio considerando o resto do teste... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:59

Iberanime

por Maki, em 27.05.15

Boas, eu sei, já passou imenso tempo, e que talvez não seja a melhor altura para falar nisso, mais um pouco e fingia que estava a falar do Iberanime OPO, mas pronto, frequências, projectos e afins impediram-me de o fazer mais cedo (ahah por acaso foi mesmo só preguiça...).

Foi a primeira vez que fui ao Iberanime, e adorei, gostei mesmo, não pude andar de um lado para o outro como queria, mas diverti-me imenso e conheci várias pessoas com as quais sei que não vou voltar a não ser que nos encontremos por acaso algures, mas heeey... 

Os cosplayers eram super simpáticos (pelo menos maior parte), havia imensa gente(demais até), mas toda a gente parecia estar a divertir-se. Foi um fim-de-semana super bom para acabar com a monotonia das aulas, soube lindamente apesar de ter chegado a casa toda partida e ter continuado com dores de pernas durante 3 dias, nunca pensei que conseguisse desempenhar bem o meu papel, mas, depois de ter ficado com o dedo preso ao pulso de cerca de 10 pessoas lá comecei a despachar-me mais depressa, sempre a por pulseiras e a contar a mesma lengalenga e com grande sorriso (e garanto-vos que nenhum foi esforçado, eu estava mesmo a adorar aquilo), até que aparecia alguém mais random que me fazia rir. Por exemplo lembro-me que um gajo do meu curso ter grande mind blow ao me ver e de um rapaz super aleatório 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:56

(in)justiça popular

por Maki, em 17.05.15

Existem coisas que sempre me fizeram confusão, por vezes chegam mesmo a fazer comichão... Actualmente uma delas é o caso de bullying na Figueira da Foz, eu não vi o filme todo, fiquei enojada após 1 ou 2 minutos, mas decidi ir ler os comentário, o que me enojou ainda mais... Iam de "é feia como o ****" a "quando é que a matamos?". Gotta bully the bully! Para além dos comentários pouco felizes dirigidos para a rapariga também criticavam umas ou outra pessoa aleatória que passava, sinceramente eu não os julgo, fomos formatados para pensar no nosso bem estar, não levantar ondas, fingir que não vemos o que passa à nossa frente... Vocês metiam-se no meio deles e defendiam o rapaz? É que eu detesto admitir mas já tive numa situação semelhante, talvez mais crítica até... E não fiz nada, fiquei só especada a morrer por dentro e chorei que nem uma Madalena quando cheguei a casa por ser cobarde. Por ter medo que as únicas raparigas da minha turma se virassem conta mim por as mandar parar. Que deixassem de atacar a minha auto-estima esporadicamente e também me começassem a rodear e atacar por vezes fisicamente. Tinha medo. Não me orgulho disso mas era frágil e tinha medo de enfrentar 5 pessoas quando 3 delas faziam quase duas de mim... No entanto hoje sei que me metia, nem que fossem 10, a repulsa que criei a esses actos hoje definitivamente metia-me. Meti-me mais do que uma vez para ajudar um rapaz que agora é meu amigo, e se visse isso acontecer na rua metia-me também. E vocês? Metiam-se? Enfrentavam desconhecidos para ajudar uma pessoa que não conheciam? Em vez de desejarem desejarem o sangue da gaja, olhem para os vossos amigos e familiares, tentem perceber se está tudo bem, olhem para vocês mesmos e reflitam sobre situações que assistiram, sobre quem são. As melhores armas contra o bullying são saberem quem são e falar abertamente sobre o assunto. Não tratem a vítima como um coitadinho, tratem-no como uma pessoa que vai superar aquilo, não tratem os bullies como monstros, tratem-nos como alguém que tem que se aperceber que fez algo errado e ainda vai a tempo de ser uma pessoa melhor. A adolescência é uma idade complicada em que formamos quem somos, sentir o ódio de milhares de pessoas não me parece que vá dar bom resultado...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:55


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D