Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fugindo do óleo de palma

por Maki, em 31.08.17

Após ver um documentário que falava sobre a cultura do óleo de palma, da vida dos trabalhadores e das suas famílias decidi tirar esse ingrediente da minha alimentação.

Como estou na terrinha as coisas têm andado a correr bem, como os bolos tradicionais daqui que são feitos no dia, o pão, e o meu pai tem ido à horta buscar hortaliças e vegetais por isso tenho conseguido viver bem sem isso até hoje. Acordei da sesta com uma vontade colossal de comer bolachas, fui ao mini-mercado aqui ao lado peguei nas minhas bolachas favoritas e li os ingredientes enquanto fazia figas BUM "óleo de palma" , peguei nas bolachas ao lado "gordura de palma", peguei em todas a bolachas com bom aspecto e todas elas tinham algum ingrediente com "palmqualquercoisa" na constituição,fiquei triste, peguei numas bolachas de arroz e vim para casa comer um bocado de esferovite sem Nutella porque pronto... Óleo de palma...

Esta escolha vai ser super benéfica para a minha linha, quando voltar para Lisboa devo morrer de fome...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:38

Os velórios

por Maki, em 31.08.17

Em toda a minha vida fui a dois velórios, o da minha avó e o da avó de uma amiga. O da minha avó custou-me horrores, porque pronto... Era o da minha avó, mas nem quero pensar no quão lixado deve estar a ser para ela estar lá.

Quando fui ao da minha avó eu chorei, chorei imenso, hiperventilei foi uma alegria para os "papa funerais", mas também me ri, ri-me bastante, contei piadas e relembrei os meus avós, a minha família juntou se a contar histórias sobre eles. Agora que olho para trás vejo que foi saudável. Fez-me bem tanto chorar como rir.

No velório da avó da minha amiga não se ouvia uma palavra, todos estão a sofrer em silêncio e de forma equilibrada. Há momentos em que não temos que ser equilibrados. Há momentos em que temos o direito de chorar baba e ranho! E este é um deles... Tive pena de não poder estar lá muito tempo... De não me ter apercebido que ela não queria rir e ter mandado uma piada sobre os "papa funerais". Eu tenho que aprender a estar calada mas ela tem que aprender a explodir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:27

A igualdade é complicada...

por Maki, em 24.08.17

Todos somos um floquinho de neve especial, não há duas pessoas iguais, ninguém pensa exactamente da mesma forma que o vizinho do lado, não há 2 pessoas 100% iguais a nível físico, no entanto estamos constantemente a lutar pela igualdade... 

Eu não acredito na igualdade... Cada pessoa é diferente e temos que aceitar essas diferenças e jogar com elas a favor de uma sociedade mais completa e justa, a igualdade é complicada... A equidade é bacana.

Por exemplo nos desportos de combate: não faz sentido um homem de 90kg lutar contra uma mulher de 50kg então não se faz. Equidade: a cada pessoa é atribuído um adversário que tenha condições físicas semelhantes. Há pessoas com vocação para medicina mas que não tem média para entrar e idiotas sem qualquer tipo de vocação para tal que estão lá. É justo? Bom para a sociedade? 

Na minha opinião numa sociedade justa somos não somos todos iguais pelo contrário, somos todos diferentes, aceitamos essa diferença e aproveitamos os pontos fortes de cada um.

Mandem-me para a fogueira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:38

Problemas de ser toda boa

por Maki, em 16.08.17

Hoje fui dar uma volta com uma amiga, como somos de uma terrinha ir a um café implica desfilar pela esplanada do mesmo e ser o tema de conversa de quem lá está até que apareçam novos clientes, ora, como nós estávamos extremamente sensualonas decidimos que era melhor ir a uma maquina buscar as gomas para evitar que nos invejassem. 

Ao virarmos a esquina que antecede a bendita maquina vimos que havia uma fila para chegar à mesma constituída por pitas.  Não sei se foi a minha blusa russa, o fato-de-treino da minha amiga, o facto das minhas calças não serem justas ao ponto de me impedirem dar passos longos, o meu bigodinho, estarmos a histórias estúpidas ou possuirmos a barriguinha tapada, mas a verdade é que elas estavam hipnotizadas com a nossa presença... Nunca me senti tão observada na vida. Elas estavam a falar umas com as outras para decidir o que comprar mas estavam a olhar para nós. Elas estavam a apanhar o produto da maquina mas olhavam para nós. Elas estavam a abalar, mas continuavam a olhar para nós. Fiquei desiludida por nenhuma ter virado a cabeça 180º...

Acho que é seguro dizer que somos as novas role models das moças.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:59

Bum virei animadora numa noite

por Maki, em 15.08.17

Na semana passada disse que até terça/segunda à meia noite ia aprender animação, e aprendi! Mal e porcamente, mas aprendi! Tenho um vídeo que comprova que sei fazer com que as coisas mexam, mexem-se exactamente como eu quero? Não... Mas mexem-se! E tendo que eu perdi 2 dias a tentar utilizar programas gratuitos para evitar o antigo flash/actual animate CC por ser uma pessoa honesta e pobre  que não tenciona piratear coisas até correu bastante bem... 

Vou voltar a usar o que aprendi? Não que a versão de avaliação do adobe animate acaba no fim-de-semana, maaaaaas agora posso meter no CV que tenho algumas aptidões para aquilo, é útil na minha área? Não... Mas enche chouriços!

Heis a minha obra-de-arte:

Depois dos 10 segundos aquilo fica estranho, mas como no Animate aquilo está sincronizado vou assumir que a culpa é de Satanás e não há nada que possa fazer contra isso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:18

Voz prodigiosa

por Maki, em 13.08.17

Existem pessoas com uma voz linda, harmoniosa, daquelas dignas de radio. A minha é exactamente o oposto mas fez-me aperceber da minha razão de existir. Eu sou uma arma de tortura ambulante! A minha voz vem directamente dos confins do inferno, irritante e agora ainda por cima tem um toquezito de catarro. A minha voz é anti-cristo, isto considerando que o anti-cristo é uma pita na idade do armário. Vou meter um anuncio na net a ver se os USA ou a Coreia me contractam. Se me metessem em Guam com um microfone na mão e umas colunas bem potentes ninguém ia querer atacar aquela ilha (os habitantes iam cometer suicídio? Talvez... Mas ninguém ia atacar a terrinha), também tenho versatilidade para tortura. Um bacano pode recusar-se a dar informações após o esfolarem, arrancarem dentes/dedos, mas duvido que aguente uma hora comigo a cantar. 

Talento, puro talento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:35

Não são mais teimosos que eu...

por Maki, em 10.08.17

Estou à duas horas a ouvir o refrão de uma musiquinha super irritante da minha operadora telefónica em loop. A musica é horrível, a voz da cantora está distorcida e eu estou a dar em maluca, mas nem sonhem que me vão ganhar pelo cansaço! A única coisa que cresce a cada minuto que passa é a minha vontade de arranjar uma nova operadora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:40

Tudo começou num fatídico dia de inverno quando frequentava o 10º ano, senti uma picada na barriga no primeiro intervalo seguido de suores frios, como era inverno pensei que estava a chocar uma gripe e não liguei. Fui para a próxima aula e tudo correu lindamente, foi na última aula que a coisa descambou, era educação física e o professor disse para corrermos, dei uns passinhos a correr e fui percorrida por o maior arrepio da minha vida, comecei a ter suores frios e senti uma dor colossal de barriga, o professor olhou para mim e pediu para me sentar. Tive mais de meia hora agarrada à barriga sem saber o que estava a acontecer. A aula acabou e fui para casa, sempre encostada às paredes e com a mão na barriga, podia ter sido apendicite mas não, foi a minha primeira diarreia, andei uma semana assim... Tomava comprimidos para ajudar a rejuvenescer a flora intestinal mas continuei com diarreia durante mais de uma semana, a diferença é que agora conseguia estar mais tempo longe da sanita, aliás nunca cheguei a usar a casa de banho da escola para fazer o cocozinho, o truque era também não tentar fazer um xixizinho. Um dia o meu pai foi iluminado e disse que eu devia experimentar deixar de beber leite durante uns dias para ver se a coisa melhorava.

Melhorei, passado coisa de 3 dias voltei a ter prisão de ventre (que é o meu estado habitual) e nunca mais bebi leite. O problema voltou com chegada do verão, eu gosto de gelados, aliás adoro gelados e com o calor esqueci-me do que acontecia quando bebia leite e comprei um gelado. Nada aconteceu, os meus intestinos continuavam presos e não voltei a pensar no assunto. Certo dia estava eu a comer um gelado em casa quando o meu pai entrou na cozinha e o arrancou da minha mão, porque aquilo tinha leite e me ia fazer mal, expliquei-lhe que já tinha comido gelados antes e nada tinha corrido mal e ele devolveu-me o gelado. O que me esqueci é que até aí só tinha comido gelados pequenos como pernas de pau e caramel e nuts, não um magnum de amêndoa de marca branca. Essa noite foi complicada...

Em 5 anos, após várias experiências - sempre feitas com medo e uma caixinha de comprimidos ao lado para atacar a diarreia antes que ela me atacasse a mim - acabei por encontrar alguns gelados e iogurtes que conseguia comer e não voltei a ser apanhada de surpresa. Até ontem... Tive uma pequena amnésia e um ataque de gula que me levou a querer com toda a força um maxibom nata. Comi-o por volta das 16h e estive desde as 20h até às 21h na casa de banho... 

A vida de uma auto-intitulada intolerante à lactose não é fácil...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:06

Desafio: Irmandade das Bloggers

por Maki, em 05.08.17

A Simple Girl foi uma fofa e apesar das minhas ausências prolongadas considerou que eu era digna de participar neste tag, se quiserem ver o que ela respondeu cliquem aqui. Para ela um grande obrigada e aqui vai:

 

TAG Irmandade das Blogueiras.jpg

 

1. Como blogger, qual ensinamenteo (ou alguns) darias a uma pessoa que quisesse começar a escrever e a expor as suas ideias a libertar-se, essencialmente?

Ouve o Shia LaBeouf... 

 

2. Qual é o teu filme favorito e porquê?

Esta é complicada... Gosto de demasiados filmes... Mas agora só me estou a lembrar do "Still Alice", o filme é bom, muito bom, mas marcou-me especialmente por o ter ido ver com 2 amigos e no momento em que ligaram as luzes da sala termos desatado a rir como loucos por estarmos todos com um péssimo aspecto após chorar baba e ranho. Foi muito estúpido... As pessoas acharam que nós não batíamos bem, mas foi dos melhores momentos que tive num cinema.

 

3. Qual é a música que mais gostas de ouvir e que tem mais significado para ti, que aprendeste algo com ela?

Ahhh... Musica também é complicado... No ultimo mês só ouvi a vozinha do Nate Ruess nos Fun e nos The Format... 

Maaaas, uma musica que gosto mesmo muito de ouvir é a interpretação que o Salvador Sobral fez de um poema de Pessoa. E olhem que eu sou o tipo estranho de pessoa que não gosta muito da voz do moço... Com esta musica conclui que se algum amiguinho estiver à espera que um olhar baste para eu saber que ele gosta de mim está lixado que eu sou péssima com essas coisas e provavelmente vou estar à espera do mesmo...

 

4. O que sentes quando algo na tua vida parece estar a desmoronar?

Raiva. Tenho vontade de encontrar a raiz do problema e acabar com ela. Se a raiz do problema for uma pessoa tenho vontade de a partir toda? Talvez... Mas nunca bati em ninguém apesar de existir uma p... senhora enfermeira que bem merecia estar toda partida e apanhar uma enfermeira com o mesmo feitio que o dela para ver o quão lixado é ser ignorado por quem deveria zelar por ela. Isso ou um processo. Ah se eu tivesse dinheiro para lhe por um processo em cima...

 

5. Quem podes afirmar que mais amas na tua vida?

Curiosamente tive uma conversa sobre isto recentemente com as minhas amigas... Nós cá em casa não temos o habito de usar o verbo amar, mas definitivamente amo a minha família.

 

6. Qual é a tua frase favorita e porquê?

"Desenmerda-te", não é propriamente a minha frase favorita mas é a resposta que o meu cérebro me dá com mais frequência.... Pensado melhor "Nós somos pó de estrelas", dá um ar mais deep à coisa. Adoro esta frase porque demonstra a nossa insignificância. Quando - na minha terrinha - olho para o céu tenho sempre a noção do quão insignificante sou e de como os meus problemas ainda são mais insignificantes que eu... O universo é tão vasto e eu sou só uma porcariazinha que anda por ai que é composta por materiais em segunda mão, por isso não tenho o direito a acreditar que o universo está contra mim... O universo está-se a cagar para mim...

 

7. Na tua vida o que mais agradeces de ter?

A oportunidade de ter conhecido e crescido com os meus avós.

 

8. Qual é o teu actor favorito?

Jason Segel

 

9. O que pensas quando olhas para uma pessoa e parece que ela é a pessoa que queres viver ao lado para sempre?

Desde que ouvi a musiquinha que já referi...

Ah, mas se ele adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,

E se um olhar lhe bastasse

P'ra saber que o quero papar.

 

10. E por fim, o que a vida te ensinou ao longo dos anos?

Que grande parte das pessoas são uma merda e que não vale a pena gastar energia com 100 pessoas merda quando se pode gastar energia com 7 pessoas bacanas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:25

Nível de rebeldia: over 10000

por Maki, em 05.08.17

Nada grita desleixo rebeldia como usar uma cueca que diz "Wednesday" numa sexta à noite.

 

Sim, tenho cuecas com os dias da semana, têm todo o direito de me julgar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D