Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Urotélio.

por Maki, em 03.11.17

Hoje encontrei um caderno que usava para desenhar e decidi voltar a pegar nele, como não sabia o que desenhar fui ao priberam para ver se a palavra do dia me inspirava:

u·ro·té·li·o 
(uro- + [epi]télio)

substantivo masculino

[Anatomia]  Tecido que cobre as membranas mucosas do trato urinário.


"urotelio", in Dicionário Priberam
 
 
Obrigada Priberam, minha formosa e delicada tágide.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:52

Este ano promete...

por Maki, em 17.09.17

Estou no novo quarto há menos de uma hora e tenho a certeza que o "viver em comunidade" está de volta, este ano com um bónus.

Preparem-se para:

"viver em comunidade" + "viver com os senhorios"

Só para aguçar a curiosidade fiquem a saber que só posso tomar banho até às 21h30 e não posso fazer barulho após as 22h porque "como a menina sabe é ilegal". 

E mais não digo porque tenho medo que o som das teclas desperte alguém e me mandem prender. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:43

Maldição...

por Maki, em 12.09.17

Fiz um post enorme sobre o ridículo que era o técnico estar todo feliz por ter médias maiores que medicina, mas perdi-o após o tentar publicar com a Wi-Fi e os dados móveis desligados...

Haverá melhor prova de que andar no técnico não é sinónimo de inteligência?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:39

Problemas de ser toda boa

por Maki, em 16.08.17

Hoje fui dar uma volta com uma amiga, como somos de uma terrinha ir a um café implica desfilar pela esplanada do mesmo e ser o tema de conversa de quem lá está até que apareçam novos clientes, ora, como nós estávamos extremamente sensualonas decidimos que era melhor ir a uma maquina buscar as gomas para evitar que nos invejassem. 

Ao virarmos a esquina que antecede a bendita maquina vimos que havia uma fila para chegar à mesma constituída por pitas.  Não sei se foi a minha blusa russa, o fato-de-treino da minha amiga, o facto das minhas calças não serem justas ao ponto de me impedirem dar passos longos, o meu bigodinho, estarmos a histórias estúpidas ou possuirmos a barriguinha tapada, mas a verdade é que elas estavam hipnotizadas com a nossa presença... Nunca me senti tão observada na vida. Elas estavam a falar umas com as outras para decidir o que comprar mas estavam a olhar para nós. Elas estavam a apanhar o produto da maquina mas olhavam para nós. Elas estavam a abalar, mas continuavam a olhar para nós. Fiquei desiludida por nenhuma ter virado a cabeça 180º...

Acho que é seguro dizer que somos as novas role models das moças.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:59

Não são mais teimosos que eu...

por Maki, em 10.08.17

Estou à duas horas a ouvir o refrão de uma musiquinha super irritante da minha operadora telefónica em loop. A musica é horrível, a voz da cantora está distorcida e eu estou a dar em maluca, mas nem sonhem que me vão ganhar pelo cansaço! A única coisa que cresce a cada minuto que passa é a minha vontade de arranjar uma nova operadora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:40

Tudo começou num fatídico dia de inverno quando frequentava o 10º ano, senti uma picada na barriga no primeiro intervalo seguido de suores frios, como era inverno pensei que estava a chocar uma gripe e não liguei. Fui para a próxima aula e tudo correu lindamente, foi na última aula que a coisa descambou, era educação física e o professor disse para corrermos, dei uns passinhos a correr e fui percorrida por o maior arrepio da minha vida, comecei a ter suores frios e senti uma dor colossal de barriga, o professor olhou para mim e pediu para me sentar. Tive mais de meia hora agarrada à barriga sem saber o que estava a acontecer. A aula acabou e fui para casa, sempre encostada às paredes e com a mão na barriga, podia ter sido apendicite mas não, foi a minha primeira diarreia, andei uma semana assim... Tomava comprimidos para ajudar a rejuvenescer a flora intestinal mas continuei com diarreia durante mais de uma semana, a diferença é que agora conseguia estar mais tempo longe da sanita, aliás nunca cheguei a usar a casa de banho da escola para fazer o cocozinho, o truque era também não tentar fazer um xixizinho. Um dia o meu pai foi iluminado e disse que eu devia experimentar deixar de beber leite durante uns dias para ver se a coisa melhorava.

Melhorei, passado coisa de 3 dias voltei a ter prisão de ventre (que é o meu estado habitual) e nunca mais bebi leite. O problema voltou com chegada do verão, eu gosto de gelados, aliás adoro gelados e com o calor esqueci-me do que acontecia quando bebia leite e comprei um gelado. Nada aconteceu, os meus intestinos continuavam presos e não voltei a pensar no assunto. Certo dia estava eu a comer um gelado em casa quando o meu pai entrou na cozinha e o arrancou da minha mão, porque aquilo tinha leite e me ia fazer mal, expliquei-lhe que já tinha comido gelados antes e nada tinha corrido mal e ele devolveu-me o gelado. O que me esqueci é que até aí só tinha comido gelados pequenos como pernas de pau e caramel e nuts, não um magnum de amêndoa de marca branca. Essa noite foi complicada...

Em 5 anos, após várias experiências - sempre feitas com medo e uma caixinha de comprimidos ao lado para atacar a diarreia antes que ela me atacasse a mim - acabei por encontrar alguns gelados e iogurtes que conseguia comer e não voltei a ser apanhada de surpresa. Até ontem... Tive uma pequena amnésia e um ataque de gula que me levou a querer com toda a força um maxibom nata. Comi-o por volta das 16h e estive desde as 20h até às 21h na casa de banho... 

A vida de uma auto-intitulada intolerante à lactose não é fácil...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:06

Vai-te lixar Tomás!

por Maki, em 23.07.17

Por volta da 1h30 a minha leitura foi interrompida por um grupo de adolescentes a gritar na minha rua. Fechei o livro e peguei no telemóvel para fazer tempo até que o grupo passasse. São 2h e o grupo ainda não passou... Com base nos gritos que me entram pela janela a culpa é do Tomás que está a vomitar na esquina. Vai-te lixar Tomás!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:56

Vidro fosco?

por Maki, em 25.06.17

Quando penso em casa-de-banho penso em privacidade, penso que ninguém precisa saber se estou a fazer um xixizinho, o cocozinho ou a mudar o penso ou tampão. Mas nem toda a gente pensa assim... Na semana passada deparei-me com uma casa-de-banho publica com divisórias de vidro fosco... Eu estava a fazer o meu squatzito para não tocar com a nádega na sanita quando de repente olhei para o lado à procura do papel e deparei-me com uma mão espetada no maldito vidro, escusado será dizer que ia tendo um ataque.

Depois fui lavar as mãos... A imagem reflectida no espelho era linda, digna de uma selfie: Euzinha em 1º plano e depois lá no fundo duas amiguinhas, uma a tentar não tocar na sanita apoiando-se nas divisórias e a outra agachada a mudar o tampão... Lindo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:08

Acordei, peguei no telemóvel e vi o led a piscar, um arrepio percorreu-me a espinha. Mas abri o messenger na esperança que algum milagre tivesse acontecido e o fdp tivesse finalmente feito algo do que lhe pedi... Se um homem pode ressuscitar ao terceiro dia o outro também deveria ser capaz de desenhar rectângulos... "tenta copiar o trabalho pelos teus amigos que eu descobri que tenho teste quarta x)". Han? Tento o que?! Contratar um hitman para te limpar o sebo? Vou pensar nisso assim que acabar de tratar dos pormenores finais do projecto que tenho vindo a fazer ao longo da semana com zero ajuda enquanto andas a laurear a pevide.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:59

O dia da entrega

por Maki, em 03.04.17

13h01 - O meu querido e bastante responsável colega de grupo informa-me que não conseguiu fazer a parte dele do trabalho no tempo previsto.

13h02 - Pergunto o que ficou feito.

13h11 - Recebo a indicação de que não fez nada.

14h00 - Estou atrasada para a aula devido a um pequeno imprevisto que pode ou não ter envolvido um grande desabafo com uma das minhas colegas de casa.

15h20 - Faltam 10 minutos para uma aula que abordava o dito trabalho, cujo prazo de entrega é esta meia noite, quando pergunto ao meu  colega onde raio é que ele está. 

15h30 - A aula acaba, alguns dos meus colegas de curso desejam-me sorte e seguem com os respectivos parceiros para salas de estudo. 

15h38 - Sou informada que o menino está a lanchar. Pergunto onde decido abandonar a faculdade.

15h41 - Descubro que o idiota está numa padaria a mais de 15 minutos da faculdade, alegro-me da minha intuição estar correcta e de já estar caminho de casa, peço-lhe para tentar avançar com aquilo que não fez e para comunicar-mos por skype que assim é mais produtivo.

16h00 - Vou ao supermercado e compro demasiados doces para tentar ficar feliz. 

16h36 - Chego ao quarto e começo a trabalhar.

17h08 - O bastardo informa-me que chegou a casa. Alegro-me de não ter ficado à espera dele na faculdade.

18h12 - Pergunta-me se tinha inquirido o professor sobre um PORMENOR. Interiormente mando-o para muitos sítios e peço-lhe para se focar no que está a fazer e cagar naquilo.

19h00 - Acabo de fazer uma parte do trabalho que ele deveria ter feito.

20h01 - Pergunta-me novamente pelo pormenor...

21h10 - Envia-me o que fez. Refere que adorava ter feito uma das partes do trabalho que eu fiz e que curiosamente ele devia ter feito.

21h23 - Após respirar profundamente várias vezes e desabafar na cozinha que ele é um idiota digo-lhe que o podia ter feito, mas que como não temos tempo avancei com ele.

21h30 - Critica uma das escolhas que fiz. Faltam 2h30 para a entrega, faltam imensas coisas mas ele queixa-se do que fiz, respiro fundo e explico.

22h51 - Queixa-se que a parte dele levou muito tempo a fazer, que teve que ver tudo a pente fino. Riu-me e alegro-me de não estar ao pé dele, não sei se ao ouvir algo assim pessoalmente após fazer o triplo do trabalho do menino era capaz de não o mandar para um sitio menos agradável.

23h05 - Implica novamente com um detalhe insignificante.

23h14 - Continua a carregar na mesma tecla. 

23h33 - Questiona-me se pode enviar o trabalho desta vez porque da ultima não foi ele. Digo que sim, é da forma que faz algo útil e possivelmente se esquece do detalhe.

23h37 - Sinto uma pontada na barriga e vou para a casa-de-banho, não devia ter comido tantos chocolates.

23h41 - Tomo um ultra levur e pergunto-lhe se já enviou o trabalho.

23h45 - Dou por mim a comer mais chocolate. 

23h52 - O trabalho é enviado.

23h55 - O jovem sugere que prestemos mais atenção nas aulas, lembro-me que hoje era a única do grupo presente na aula e concordo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D